Minha Experiência Espiritual na Índia – Parte 1

Após um momento conturbado da minha vida, quando nada mais fazia sentido, resolvi que deveria ir a  Índia! Nem que fosse sozinha! Começei a planejar, me preparar para essa que seria uma grande guinada na minha vida!

Aos olhos dos outros e do status quo da socidade eu era  bem sucedida para uma jovem de 23 anos com futuro promissor pela frente.

Começei a “divulgar” minha loucura, e logo apareceram adeptos! E mística indiana já começou aí! Uma amiga de uma amiga foi uma! Marcarmos um almoço pra se conhecer, já montamos o roteiro, e uma balada a noite! A nossa amizade foi instantânea, mágica e inesplicável! Até hoje somos grandes amigas!

O roteiro da viagem  também buscou o caminho do meio; conciliou espiritual,  histórico e mundano! Fomos aos Asharams do Osho e Sai Baba, Cavernas de Ajanta e Ellora, Taj Mahal, Fatekpur Skri ,Delhi, Balagole e GOA, onde nasceu a música Trance, Raves,…. Confira a série de posts da India neste link.

Nest post vou dedicar mais a Índia espirtual, Índia mística, Índia religiosa, ou como você queira chamar.

Sem dúvida, ir para a India se trata de uma experiência espiritual, esteja você ciente disso ou não! É preciso se entregar a energia e ao destino! Se você estiver nesse espírito tudo vai dar certo, se não, será um pesadelo! Por isso, só existem dois tipos de pessoas que  já foram a India: as amam ou as odeiam!

Fui sozinha de São Paulo a Nova Delhi encontrar duas amigas. Imaginem o Pânico e Terror que todos colocaram em mim! Chegando sozinha na India às 2 da manhã??!!! Bom, aprendizado número um: Não julgue as pessoas! Nada que parece ser, é. Confie!

Contratei um transfer do hotel para me pegar no Aeroporto de Bombay. Como as pessoas não podem entrar, todos, familiares, motorista, taxistas, oportunistas, … ficam no lado de fora se degladiando! Umas cem pessoas!

E cadê meu nome na placa de algum motorista? Não preciso nem dizer que ninguém apareceu… Bom, comprei um ticket no quiosque do aerorporto e me mandam procurar o taxi no meio da muxuca! Quando cheguei, um maluco disse “aqui” ! E me levou pra outro cara de turbante.. Pegou o papel e disse vamos! Os dois me levaram no meio de um estacionamento vazio e escuro… MEDO. Guardaram minhas coisas na mala e entrei no carro. Foi quando o cara de turbante, o motorista, saiu sem avisar e me deixou com o outro, cara maluco. MEDOO. Que começou a entrar com a cabeça dentro do carro perguntando se eu tinha euros ou dólares!? Ai tive certeza que estava sendo assaltada no mínimo! Respondi: não não tenho nada! E ele repondeu: então de onde você é? Não é da Alemanha? E eu sem entender mais nada nada, conto que sou Brasileira! Ele diz: Nice ! Nice! Have a wonderful time in India! E nisso chega o motorista para me levar ao Hotel!

Após  2 dias conhecendo os pontos turísticos de Bombay, como o India Gate, os lavatórios comunitários, os museus Prince of Wales e a casa de Gandhi. Este último, sensacionalll!

Depois partimos para Aurangabad encontrar uma das atrações mais interessantes da Índia.  As cavernas de Ajanta e Ellora, a cerca de 100 quilômetros da cidade e são cavernas budistas com pinturas e santuários a Buda … é um local considerado Património Cultural da Humanidade.

Cavernas de Buddha na Ellora Índia

As Grutas de Ellora, templos e mosteiros estão localizados a cerca de 25 km da cidade, com várias grutas e  monumentos hindus e budistas. Divinas!! Energia mais forte que encontrei na Índia!

Nas cavernas de Ellora aconteceram fatos curiosos! Depois da minha experiência transcedental  decobri que foi lá que Lama Micheal , conhecido como o Buda Brasileiro, descobriu sua missão aos 12 anos. A história me foi contada por sua mãe. Durante uma viagema Índia em companhia do Lama Gangchen Rinpoche, Lama Michel entrou uma das celas das cavernas dos monges budista de 400 a.c. deve um demaio e um transe. Começou a descrever o local e uma cena. Bel Cesar, mãe do menino,  pegou-o colo e levou até o Lama, que o acordou. Confirmou que a cena que ele descrevera estava nos livros budistas e que Michel era a reecarnação  de um linhagem de Lamas tibetanos.

Então, ele aos 12 anos, por decisão própria, tornou-se monge e passou a viver no Monastério de Sera Me, no Sul da Índia, onde estuda da filosofia budista tibetana. Sera Me é uma universidade monástica com quatro mil monges, e Lama Miche é  o único ocidental. Destacou-se em seus estudos, destacando-se entre os primeiros de sua classe.

Cavernas de Ellora

Enquanto eu estava  numa das cavernas e me virei para trás, para a fenda da saída, com sol e as árvores lindas lá fora, “vi” uma cachoeira caindo por cima, como um espelho d´agua. Falei para minha amiga. “Aqui tinha uma queda d´agua”.  No dia seguinte, um menino oferece um cartão postal de Ellora aela, com a foto daquela caverna com uma queda d´agua, e ele contou que isso acontece na primavera!

Após inúmeras experiências incríveis e fortíssimas, partimos para Puna, ou Pune, onde fica o retiro: Asharam do Mestre indiano Osho na Índia!

Ao chegarmos uma surpresa! Era um hotel , nada simples como num retiro, cheio de coisas estranhas que vou listar e vamos ver se você não vai estranhar! Lá todos hóspedes tem que usar uma roupa cor de vinho, e os “mestres” preto. Lá tudo é preto: construção, quartos, marmore, copos, pratos, talheres, passáros, estátuas, cadeiras, TUUDOO! Ao perguntarmos o por quê, recebíamos uma resposta atravessada, cara feia, nada de esclarecimento! A noite tinha uma Rave no resort! Até que descobrimos que para participar das atividades e terapias era preciso fazer um teste de HIV!! Fala sério! O que é isso!?? Foi então que decidimos partir sem nem ao menos ficar! Compramos passagens de onibus para Goa, parte colonizada pelos Portugueses.

Asharam do OSHO Pune India

Antes de partir de Pune conhecemos o luxo do Palácio de Aga Khan onde Gandhi ficou preso 6 anos e viu morrer sua esposa.

O onibus não tem cadeiras e sim, uma cama de casal! Então, eu que era tericeira do grupo teria que dividir a “cama” com um indiano fedido??! Ainda bem que ninguém comprou o assento do meu lado. UFA! Pelo menos foi bom para dormir durante as 12 horas de viagem!

Chegar em Goa, significaria chegar na Bahia, o onibus parou na cidade de Feira de Santana da Índia…

Chegando lá abrimos guia e rapidamente, sem  pensar, escolhemos Anjuna. Ao chegarmos, descobrimos que escolhemos “Trancoso”, ainda no paralelo com a Bahia! Nada mal! Outra surpresa a beira mar, ouvimos uma festa Rave rolando! Perfeito!? Confira nosso post sobre Goa! Sai Baba e Delhi, Taj Mahal